Inicio
Imagem de topo


Alma Naturista

Adere à Associação Alma Naturista

Ao aderir á AAN estás a ajudar a divulgar e promover o naturismo em Portugal.

O Corpo - Aceitação exterior

A segunda barreira reside fora de nós.

O Corpo - Aceitação exterior

À medida que nos descobrimos e aceitamos o nosso corpo surge como uma extensão natural do nosso Ser.

O Corpo que nos acompanha desde o nascimento, evolui e transforma-se ao longo dos tempos mantendo-se inalterada a opressão sobre o mesmo ditada pela sociedade, pela religião, pela família, pelos média e pela moda.

A religião com o pecado, a sociedade com o decoro, a moda com as imagens perfeitas e irreais, o estado com normas, as leis e a formatação imposta pela via do ensino, constituem todas elas um conjunto alargado e elevado de barreiras à aceitação individual do Corpo.

Após a passagem da barreira do EU, através da aceitação do que somos e como o somos, ficamos prontos para esta etapa mais difícil, longa e dolorosa.

Até aqui fizemos um caminho interior, só nosso e ao qual apenas acederam os mais próximos ou mais íntimos. A partir daqui precisamos de espaço, inicialmente podemos faze-lo dentro da nossa privacidade, no nosso quarto, na nossa casa e em privado.

Partindo da aceitação do EU iniciamos o caminho em direcção à aceitação do Corpo ganhando determinação e força para superar esta barreira.

Se me aceito por dentro não faz sentido não me aceitar por fora.

O meu Corpo é o meu Corpo, é único e é só meu, é a “roupa”, o “fato”, o traje que a natureza me deu e que moldei ao longo da vida na minha caminhada, com a minha prática desportiva, com a minha alimentação, com as minhas feridas, com as minhas doenças e com o meu trabalho.

Independente do que fiz e como fiz, deu muito trabalho a esculpi-lo, é fruto do que sou, do que fui e do que serei, acumula a minha vida ao longo dela.

Cada cabelo branco ou desaparecido, cada cicatriz, cada ruga, cada prega, cada ponto do meu corpo tem uma história, uma vivência, tem o resultado da minha vida e do meu Ser.

Aceitar o meu Corpo é aceitar o meu Eu, o meu passado e o meu futuro, é aceitar a possibilidade de o manter, de nada fazer, mas também é aceitar a possibilidade de através da prática desportiva, da alimentação, da meditação, do exercício e porque não da ciência de o mudar, de o trabalhar, no entanto faça o que faça ou aceite o que fiz, é e será sempre o meu Corpo.

Olhar e aceitar, ver ao espelho e reconhecer, respeitar, entender que é parte de mim mesmo, que é único e só meu, é concluir a jornada e ficar pronto para o passo seguinte.

Nesse momento aceito-me plenamente e ultrapasso a barreira do meu Corpo, passo a ser um Ser de corpo e alma, único e indivisível.

Descubro o conforto de andar despido, descubro a minha liberdade individual no meu estado mais puro.

Eu sou Eu, o meu Corpo é o meu Corpo, somos um só, o que me fizerem desde que nasci, perdeu peso, perdeu importância, relativizou-se, não importa mais.

Chegado aqui estou pronto para o mundo, pronto para o próximo passo, pronto para ultrapassar uma nova barreira.

Autor:Paulo Garcia

Protocolo Quinta do Maral
Protocolo Direction South
Protocolo Thalassa Caparica
Protocolo em Vera
Protocolo Vila Pura
Protocolo Gaia Portus
Protocolo Yas Empire
Barril Beach Cafe
OrientalMed
VieiraRelax
Naturist Travel